Nós da SOS Velocímetros repugnamos esse tipo serviço, pra ajudar nossos clientes, recomendamos para ficar atento antes de fechar negócio.

Por Raphael Panaro – Autoesporte

03/12/2020 09h27  Atualizado há 10 meses

Veja algumas dicas para não ser passado para trás:

MANUAL
O primeiro item a ser verificado é o manual com as revisões, caso elas não tenham sido realizadas na concessionária, solicite as notas fiscais com o histórico da realização dos serviços (troca de óleo, por exemplo)” – Reinaldo Hagge, diretor comercial da Dekra Brasil.

HISTÓRICO/VISTORIA
Muitos itens são identificados em uma vistoria de procedência e possuem como base o histórico veicular online, onde é exibido todo o histórico com base em vistorias anteriores.

Ter o histórico do carro é fundamental, assim é possível comparar se as datas e as manutenções feitas batem com o estado do veículo.

Hoje, é possível obter o histórico do veículo em empresas especializadas por menos de R$ 40.

PNEUS
“Realizando corretamente o rodízio, alinhamento e balanceamento, os pneus podem durar até 60.000 km, além disso é possível validar a data de fabricação, assim validando se são os mesmos pneus da aquisição do veículo quando adquirido 0km ou se já foram trocados” – Reinaldo Hagge, diretor comercial da Dekra Brasil.

Se um carro estiver com menos que essa quilometragem e os pneus forem novos, desconfie.

DESGATE
“Verifique o estado de conservação do veículo, a conservação dos bancos, revestimentos e desgaste do volante, estes são indicativos para identificar se o veículo possui ou não a quilometragem apresentada” – Reinaldo Hagge, diretor comercial da Dekra Brasil.

Volante, pedais e alavanca de câmbio ficam lisos com o tempo e os bancos podem apresentar perda de densidade e costuras mais desgastadas. Porém, isso ocorre com mais frequência em carros com alta quilometragem (mais de 70.000 km)

PROCURE UM MECÂNICO
O ideal é falar com seu mecânico de confiança e levar o carro para uma análise de compra, onde serão feitos alguns testes no veículo na oficina, um teste de rodagem e conferência com o equipamento de diagnóstico. Dependendo do carro, o custo varia de R$ 240 a R$ 360″ – Pedro Luiz Scopino, diretor do Sindirepa-SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *